Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre a Mulher e Gênero (Niem-UFRGS)

O Núcleo Indisciplinar de Estudos sobre Mulher e Gênero/NIEM, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/ UFRGS, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas conta com a participação de professoras/es, pesquisadoras/es, funcionárias/os e alunas/s de diversas áreas.

Atua desde sua fundação, em 1984, como articulador dos segmentos feminino e masculino junto ao meio acadêmico e como elemento de ligação entre a Universidade e a Comunidade Rio-grandense. Ao mesmo tempo, fomenta o ensino e a pesquisa sobre a Questão da Mulher e as Relações de Gênero por meio da realização de programas e eventos junto aos meios científicos e feministas locais, nacionais e internacionais.

A partir de sua atuação o NIEM tem contribuído para a formação de uma consciência crítica sobre as desigualdades de gênero e sobre a importância do papel da mulher na sociedade, destacando-se sua atuação nas seguintes atividades:

1) realização de estudos e pesquisas interdisciplinares;
2) elaboração de projetos de pesquisa sobre a mulher e as relações de gênero;
3) realização de atividades de assessoria e consultoria;
4) incremento dos estudos sobre mulher nas áreas de comportamento político;
5) desenvolvimento do ensino sobre gênero.

Também, vinculado ao NIEM e liderado pela professora Drª. Jussara Reis Prá, está o Grupo de Pesquisa sobre Gênero, Feminismo, Cultura Política e Políticas Públicas, o qual é associado à temática Cultura Política e Opinião Pública, linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da UFRGS.

As principais linhas de estudo desse grupo de pesquisa são relações de gênero, cidadania, políticas públicas, socialização, cultura política, empoderamento, comportamento político, capital social, novas institucionalidades e mecanismos internacionais de promoção dos direitos humanos das mulheres.

Clique aqui para visitar o blog do NIEM/UFRGS.

A igualdade ainda vai chegar: desafios para a construção da “cultura do respeito” aos direitos de cidadania do segmento LGBTT em uma escola pública do município de São Paulo

Tese de doutorado de Claudio Roberto da Silva
Instituição: Universidade de São Paulo

Resumo:

Este estudo teve por objetivo investigar como a noção de respeito aos direitos humanos, presente nas políticas públicas de educação, reflete-se em relação à garantia do reconhecimento do direito à não discriminação das diferenças sexuais no espaço escolar.

Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa que examinou o entrelaçamento de duas esferas que se relacionam no interior das unidades de ensino: uma, que se referia ao sistema pautado pela legitimidade das diretrizes em defesa da cidadania e do respeito aos direitos humanos, presentes em documentos institucionais, como o Projeto Político Pedagógico e o Regimento Escolar; e a outra, voltada para os alicerces culturais sobre o que se entendia por sexualidade, até então heterossexual e reprodutiva, os quais ainda alimentavam a dinâmica das relações humanas presentes na escola.

Na investigação empírica, realizada numa unidade de ensino, foram utilizados os seguintes instrumentos teórico-metodológicos: observação etnográfica, entrevistas semi-estruturadas e questionários fechados. Para entender as tensões sobre o reconhecimento da noção universal e abstrata de respeito aos direitos das diferenças sexuais, termo que na escola era constantemente ressignificado como tolerância e/ou como reputação, houve a apropriação dos conceitos de gênero e de sexualidade para a análise das informações, assim como da teorização sobre: o reconhecimento cultural, o multiculturalismo e a defesa simultânea dos direitos à igualdade e à diferença.

Ao ampliar o campo de compreensão sobre as violações cometidas contra os direitos humanos, a homofobia passou a ser considerada uma forma específica de violência, que auxiliava na compreensão das discriminações resultantes de noções, valores e expectativas sobre masculinidades e feminilidades dirigidas a todos/as as pessoas, independentemente de sua orientação sexual; assim como as formas e os conteúdos da humilhação, cuja categorização ajudava na compreensão da forte regulação de gênero, que por vezes ocorria associada à sexualidade, como um fator que dificultava o trabalho escolar com os valores democráticos e de cidadania.

Os resultados obtidos evidenciaram dois aspectos: o primeiro foi o de que a noção de direitos humanos se apoiava na ideia de respeito a um sujeito universalizante e abstrato que não se alinhava à cultura da escola estudada, possuindo pouca repercussão no discurso escolar sobre o respeito aos direitos das diferenças sexuais; e o segundo foi o de que essa escola carregava questões estruturais de condições de trabalho, de estrutura de funcionamento e de exigências burocráticas que dificultavam a introdução de algo que fosse diferente desse discurso universalizante.

Clique aqui para fazer download no Banco de Teses e Dissertações da USP.

“Movimentos sociais, direitos humanos e cidadania: um estudo sobre o movimento LGBT em Goiás”

Amanhã, 19 de outubro, o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade (Ser-tão-UFG) irá realizar um evento para divulgação dos principais resultados da pesquisa “Movimentos sociais, direitos humanos e cidadania: um estudo sobre o movimento LGBT em Goiás”, realizada pelos pesquisadores do grupo.

Esta pesquisa integra um projeto de investigação mais amplo, intitulado “Memória da luta em direitos humanos em Goiás”, coordenado pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos da UFG e realizado no âmbito da Rede Camdombah – Rede Goiana de Pesquisa em Diversidade, Direitos Humanos e Cidadania.

O projeto de investigação foi apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e também abriga pesquisa com foco em direitos humanos e questão ambiental em Goiás, cujos resultados serão igualmente apresentados na mesma ocasião.
O evento ocorrerá no dia 19 de outubro de 2011, no Salão Nobre da Faculdade de Direito, da UFG (Praça Universitária).

Num primeiro momento, haverá uma mesa-redonda sobre direitos humanos e questões ambiental e direitos humanos e questão LGBT, com a participação de duas/dois expositoras/es convidadas/os e, em seguida, outra mesa-redonda com a apresentação dos resultados das pesquisas propriamente ditos.

Confira a programação:

17h – Mesa-redonda: Direitos humanos em perspectiva: socioambientalismo e questão LGBT

Henyo Trindade Barretto Filho. Doutor em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo. É Diretor Acadêmico do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB).

Jaqueline Gomes de Jesus. Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, pela Universidade de Brasília. É Psicóloga do Trabalho e Organizacional na mesma instituição.

19h – Mesa redonda com apresentação dos resultados das pesquisas que integram o projeto “Memória da luta em direitos humanos em Goiás”.

Mais informações no site do Ser-tão.