Curso de formação feminista: Tramas e redes para mudar o mundo (GO)

Uma história a ser contada ou como esta idéia surgiu na UFG
Entre os anos de 2004 a 2006, o Grupo Transas do Corpo coordenou cursos de formação feminista para universitárias e lideranças de movimentos sociais. Passaram pelos cursos cerca de 150 mulheres, na maioria jovens estudantes de várias universidades de Goiás e de outros estados. Agora, este curso inspirador será desenvolvido com mais tempo e certificado como extensão universitária. O corpo docente continua formado pelas experientes coordenadoras e educadoras do Grupo Transas do Corpo, que são também professoras da UFG e da PUC/GO.
Participe!

Como se inscrever?
De 01 a 29/02/2012 nos sítios: www.transasdocorpo.org.br e www.sertao.ufg.br
O resultado da seleção estará disponível no dia 03/03/2012 nos dois sítios. Confirmação de matrículas: 05-09/03/2012 via e-mail.

Quem pode se inscrever? (critérios de seleção)
Pessoas com idade acima de 18 anos, com ensino médio concluído ou com curso superior e mais, com habilidades em informática e acesso à Internet, residentes na capital ou no interior e que possam realizar o curso integralmente nas atividades presenciais e a distância.

Número de vagas: 100

Onde e quando será realizado o curso?
No período de 17/03 a 30/06 de 2012. As aulas presenciais acontecerão na PUC/GO, Praça Universitária em local a ser divulgado oportunamente.

Metodologia
Curso semi-presencial teórico-vivencial; carga horária de 120 horas (40 presenciais, aos sábados, e o restante em modalidade EAD (a distância, utilizando um programa específico pela Internet, o Moodle).

Custos
O curso de extensão é inteiramente gratuito. Cada participante terá apenas as próprias despesas com alimentação e deslocamento nos cinco encontros presenciais.

Certificação
Os/as participantes receberão certificado da UFG na modalidade “curso de extensão”, carga horária de 120 horas se totalizar 75% da freqüência. A certificação está condicionada ainda à apresentação de um produto final a ser discutido ao longo do curso.

PROGRAMA DO CURSO
Módulo I – Feminismos – histórias, contextos, narrativas
Módulo II – Sexualidades, corpo, identidades
Módulo III – Política e ativismos
Módulo IV – Arte, mídia e cultura

Equipe de professoras
Eliane Gonçalves – Grupo Transas do Corpo e Faculdade de Ciências Sociais, UFG
Fátima Regina Almeida de Freitas – Ser-Tão/UFG
Joana Plaza Pinto – Grupo Transas do Corpo e Faculdade de Letras, UFG
Lenise Santana Borges – Grupo Transas do Corpo e Programa Interdisciplinar da Mulher, PUC/GO

Colaboradoras
Érica Isabel Melo – Grupo Transas do Corpo e Doutorado em História/UFG
Érika Nunes – Bolsista de Extensão (Probec), FCS/UFG
Narrira Lemos – Grupo Transas do Corpo e UFG

Realização
Ser-Tão – Núcleo de Estudos em Gênero e Sexualidade, FCS/UFG
Grupo Transas do Corpo – Ações Educativas em Gênero, Saúde e Sexualidade
Programa Interdisciplinar da Mulher – PIMEP/PUC/GO

Apoio
PRO-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA – PROEC/UFG

Visite o hotsite: http://www.sertao.ufg.br/uploads/16/original_curso_feminismos.png?1325892113

Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre a Mulher e Gênero (Niem-UFRGS)

O Núcleo Indisciplinar de Estudos sobre Mulher e Gênero/NIEM, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/ UFRGS, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas conta com a participação de professoras/es, pesquisadoras/es, funcionárias/os e alunas/s de diversas áreas.

Atua desde sua fundação, em 1984, como articulador dos segmentos feminino e masculino junto ao meio acadêmico e como elemento de ligação entre a Universidade e a Comunidade Rio-grandense. Ao mesmo tempo, fomenta o ensino e a pesquisa sobre a Questão da Mulher e as Relações de Gênero por meio da realização de programas e eventos junto aos meios científicos e feministas locais, nacionais e internacionais.

A partir de sua atuação o NIEM tem contribuído para a formação de uma consciência crítica sobre as desigualdades de gênero e sobre a importância do papel da mulher na sociedade, destacando-se sua atuação nas seguintes atividades:

1) realização de estudos e pesquisas interdisciplinares;
2) elaboração de projetos de pesquisa sobre a mulher e as relações de gênero;
3) realização de atividades de assessoria e consultoria;
4) incremento dos estudos sobre mulher nas áreas de comportamento político;
5) desenvolvimento do ensino sobre gênero.

Também, vinculado ao NIEM e liderado pela professora Drª. Jussara Reis Prá, está o Grupo de Pesquisa sobre Gênero, Feminismo, Cultura Política e Políticas Públicas, o qual é associado à temática Cultura Política e Opinião Pública, linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da UFRGS.

As principais linhas de estudo desse grupo de pesquisa são relações de gênero, cidadania, políticas públicas, socialização, cultura política, empoderamento, comportamento político, capital social, novas institucionalidades e mecanismos internacionais de promoção dos direitos humanos das mulheres.

Clique aqui para visitar o blog do NIEM/UFRGS.

Núcleo de Estudos de Gênero Pagu

Desenho de Luiz de Almeida em nanquim (2007)

Um dos núcleos de pesquisa mais importantes do país, o Núcleo de Estudos de Gênero Pagu congrega pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento em torno de assuntos como feminismo, prostituição, sexualidade, família, raça, travestilidade, mídia: todos em consonância com a perspectiva de gênero. As atividades incluem seminários, palestras, cineclube e publicações periódicas: o Cadernos Pagu.

Publicados desde 1993, os Cadernos Pagu possuem todas as suas 36 edições disponíveis para download no site do núcleo. Além disso, pelo portal Scientific Eletronic Library Online (Scielo), também estão disponíveis os cadernos de número 16 ao 36. O cineclube Cinepagu, também tem uma página própria, onde você confere o calendário das atividades. O núcleo tem também pode ser acompanhando pelo twitter.

Logo teremos mais postagens divulgando as atividades do núcleo, bem como sua rica coleção de cadernos. Os artigos são super-babadeiros!

A mídia e as mulheres: feminismos, representação e discurso

Dissertação de mestrado de Maria de Fátima Cabral Barroso de Oliveira.
Instituição: Universidade de São Paulo.

Resumo:

Esta dissertação tem como objetivo a análise das representações das mulheres em jornais canadenses na década de 1990. A imprensa escrita tem grande influência na criação ou na perpetuação de representações e/ou imagens de categorias sociais.

Buscamos examinar os discursos construídos sobre a “categoria” mulher, os seus estereótipos e as posições de sujeito assumidas que, por meo de um discurso representacional, ora se apresenta como mulher-mãe, ora como mulher-erótica, ora como mulher-vítima. A hipótese central é a de que a mídia, através de um discurso que celebra a diversidade sexual, na verdade, legitima e marginaliza identidades.

Clique aqui para fazer download no Banco de Teses e Dissertações da USP.